Clique e ouça esse Louvor para abençoar sua vida!

sábado, 18 de junho de 2011

Invocar o nome do Senhor


Romanos 10:13 (Tradução do Novo Mundo)
"Pois todo aquele que invocar o nome de Jeová será salvo."

Todos os textos gregos trazem, no lugar de "Jeová", a palavra Kýrios, que significa Senhor. Portanto, o texto deve ser lido: Pois todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo. No original grego não havia o nome "Jeová". Mas, segundo a organização TJ, o nome havia sido omitido, e caberia a eles, como suas "testemunhas", restaurar o Nome Divino ao texto bíblico. Essa conclusão baseia-se no seguinte argumento: o texto de Romanos 10:13 é uma citação de Joel 2:32, em cujo texto hebraico aparece o Tetragrama sagrado YHWH, vertido por Jeová. (o Tetragrama compõe-se de quatro consoantes hebraicas: yôd, hê', waw, hê', que formam o Nome Divino, pelo qual Deus se dá a conhecer por toda a extensão do Antigo Testamento. É comumente vertido em português por Jeová ou Javé: Yahweh, lahwéh, veja desenho acima). Assim, a substituição torna-se-ia necessária, para não dizer, obrigatória.

Acerca disso, afirmo o seguinte:

1) O apóstolo Paulo, autor de Romanos, era profundo conhecedor das Escrituras. Sua religião de berço era o judaísmo. Segundo seu próprio depoimento: "[Eu] era extremamente zeloso das tradições dos meus antepassados" (Gl 1:13-14). Aos Filipenses, escreveu a respeito de si mesmo: "Circuncidado ao oitavo dia de vida, pertencente ao povo de Israel, à tribo de Benjamim, verdadeiro hebreu; quanto à Lei, fariseu; quanto ao zelo, perseguidor da igreja; quanto à justiça que há na Lei, irrepreensível" (Fp 3:5-6).
Com todo esse vasto currículo religioso, só podemos esperar de alguém assim um profundo conhecimento do Antigo Testamento. E o apóstolo Paulo revelou deter amplo conhecimento dos escritos sagrados judaicos. Suas cartas fazem com frequência referências ao Antigo Testamento. Ao citar Joel 2:32, no qual aparece o tetragrama sagrado, o apóstolo não hesitou em usar o termo Kýrios no lugar do tetragrama, tomando um pelo outro, indistintamente. Com isso, esse piedoso judeu convertido ao cristianismo identificou Jesus com o YHWH da tradição de seus pais.
Paulo demonstrou que encarava Jesus como alguém que é muito mais do que um simples arcanjo. Assim, ele se distancia, e muito, da organização, que identifica Jesus com o arcanjo Miguel.
Afirmo então que não houve omissão do tetragrama em Romanos 10:13, mas tão-somente a identificação desse com o termo Kýrios. Esse não é o único caso em que textos do Antigo Testamento, portanto o Nome Divino, são citados no Novo Testamento e aplicados diretamente a Jesus Cristo (cp. Fl 2:10-11; Rm 14: 10-11 com Is 45:23; Ap 2:18,23 com Jr 17:10; Jo 12:37-40 com Is 6:1-5; Ef 4:7-8 com Sl 68:18).

2) O contexto não deixa dúvidas a respeito daquele a quem o termo hebraico YHWH e seu equivalente grego Kýrios, se referem. Acompanhe o raciocínio; o apóstolo Paulo está falando de seus compatriotas israelitas que não se sujeitaram à justiça de Deus (v. 1). No versículo 4, diz que é preciso "exercer fé" (TNM) em Cristo para ser justificado. E isso, diz Paulo, está bem perto de nós; está ao alcance da boca e do coração (v. 8). Com a boca se declara que Jesus é o Senhor (Kýrios) e com o coração se exerce fé (v. 9, 10). No versículo 11, Paulo diz, citando o Antigo Testamento, que quem cer em Jesus não será decepcionado. No versículo 12, afirma-se que Jesus é o Senhor de todos os que o invocam, tanto judeus, quanto gregos. Em todo o texto, está claro que Paulo está falando de Jesus Cristo. E, no versículo 13, chega ao ponto máximo aplicando Joel 2:32 a Jesus: Todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo (v. 1Co 1:2, Gl 3:28 e Ef 2:11-18).

Percebe-se, portanto, que o autor sagrado não considerou sacrilégio aplicar o texto de Joel 2:32 à pessoa de Jesus Cristo, pois reconhecia sua divindade absoluta. Como afirmou a igreja no Credo niceno, ele é "Deus de Deus, lUz de Luz, Verdadeiro Deus de Verdadeiro Deus".

Ainda sobre essa questão, a Tradução do Novo Mundo com referências contém algo muito interessante. Na verdade, é uma armadilha que, mesmo sem saber, a organização TJ armou para si mesma. Como já disse, o texto de Romanos 10:9-13 é dirigido a Jesus Cristo. Em Romanos 10:9 (TNM), o apóstolo Paulo afirma: "Pois, se declarares publicamente essa 'palavra na tua própria boca', que Jesus é Senhor* [...] serás salvo". Pois bem, na TNM com referências, o nome "Senhor" vem acompanhado de um asterisco (*), remetendo o leitor para uma nota de rodapé, na qual aparece o seguinte: "9* Gr.: -ri-os; J12-14, 16-18, 22 (hebr.): ha-'a-dhóhn, 'o Senhor'. Não Jeová'".

Observe que a TNM afirma que a expressão "o Senhor" é originária do hebraico ha-'a-dhóhn. Acontece que no Apêndice 1H da referida TNM com referências aparece a seguinte explicação:
"O [verdadeiro] Senhor": Hebr.: ha-'A-dhóhn. O título 'A-dhóhn, "Senhor; Amo" quando precedido pelo artigo definido ha, "o", forma a expressão ha-'A-dhóhn, "o [verdadeiro] Senhor". No M [texto Massorético], o uso do artigo definido ha antes do título 'A-dhóhn limita a aplicação deste título exclusivamente a Jeová Deus.

Ora, se a palavra "Senhor" de Romanos 10:9, aplicada a Jesus Cristo, deriva-se do hebraico ha-'adôn, então a conclusão deveria ser óbvia: Jesus é o ha'adôn, ou seja, "0 [verdadeiro] Senhor". Para compelir o leitor a fugir dessa conclusão, que é inevitável, a organização TJ faz questão de frisar: "Não 'Jeová'". Mesmo sem querer, a TNM com referências acaba fazendo de Jesus Cristo "o [verdadeiro] Senhor", pondo-o em pé de igualdade com Jeová, pois no apêndice seguinte ("1J") , intitulado "Títulos e termos descritivos aplicados a Jeová", aparece justamente aquele que é aplicado também a Jesus Cristo: ha'adôn, o [verdadeiro] Senhor.

quinta-feira, 2 de junho de 2011

Um caso Especial: Trindade


1 João 5:7-8
Em conversa com uma TJ sobre a doutrina da Trindade, é comum a citação de 1 João 5:7-8, que diz, segundo algumas traduções: "Porque três são os que testificam no céu: o Pai, a Palavra, e o Espírito Santo; e estes três são um. E três são os que testificam na terra: o Espírito, e a água e o sangue; e estes três concordam num" (ARC).

De imediato, eles afirmam que as palavras "no céu: o Pai, a Palavra, e o Espírito Santo; e estes três são um. E três são os que testificam na terra" não fazem parte dos melhores manuscritos. Para isso - no caso dos católicos -, remetem o leitor para uma nota ao pé da página de A Bíblia de Jerusalém, que afirma estar essa passagem ausente dos manuscritos gregos mais antigos, nas antigas versões e nos melhores manuscritos da Vulgata. Para alguns evangélicos, citam a obra A Bíblia explicada, de S. E. McNair, publicada em 1985 pela Casa Publicadora das Assembléias de Deus (p. 489), segundo a qual afirma que a passagem bíblica em apreço deve ser omitida por não se encontrar nos melhores manuscritos. (Livro Raciocínio à base das Escrituras, p. 415).

Os Tj, ensinados por sua organização, afirmam que esses versículos "foram acresentados por alguém que estava tentando dar apoio ao ensino da Trindade"; conseqüentemente, "esses palavras não fazem realmente parte da Palavra de Deus". (Livro Poderá viver para sempre no paraíso na terra, ed. de 1983, p. 53).

Tem havido muita controvérsia com respeito ao fato de esses palavras fazerem ou não parte dos manuscritos originais da Bíblia. A maioria dos estudiosos afirma que não fazem. Contudo, há outros que dizem o contrário. Bem, não quero entrar nessa contenda, minha intenção é mostrar que neste caso, a organização TJ mostra-se incoerente. Acompanhe a seguir o raciocínio.
Em sua Tradução do Novo Mundo - com referências, ao comentar 1 João 5:7, a organização TJ indica os manuscritos antigos da Bíblia que omitem as palavras "no céu: o Pai, a Palavra, e o Espírito Santo; e estes três são um. E três são os que testificam na terra". São os seguintes:

(Álefe) - Códice sinaítico, do século IV d.C.
A - Códice alexandrino, do século V d.C.
B - Manuscrito vaticano 1209, do século IV d.C.
Vg - Vulgata latina, de S. Jerônimo, do século V d.C.
Syh - Versão siríaca filoxeniana-harcleana, dos séculos VI e VII d.C.
Syp - Peshita siríaca, do século V d.C.

Vale ressaltar que os mais antigos são Álefe e B. Mas em que consiste a incoerência da organização TJ, conforme foi mencionado acima? Para rejeitar a fórmula trinitária de 1 João 5:7-8, a organização recorre aos manuscritos mais antigos. Contudo, esses mesmos manuscritos também omitem as passagens de Marcos 16:9-20 e de João 7:53-8:11, que constam na TNM. Ora, os mesmo manuscritos, reputados como mais antigos, que não trazem 1 João 5:7-8, omitem também esses textos. Se a organização fosse coerente, deveria de igual maneira omitir essas duas últimas passagens bíblicas da TNM. Por que não o fez? Porque o conteúdo desses passagens não contraria o corpo doutrinário da organização TJ; o que não se dá, certamente, como 1 João 5:7-8, que ensina a doutrina da Trindade (negada pela organização). Trata-se, portanto, de mera conveniência, não de fidelidade aos manuscritos mais antigos.
A doutrina da Trindade, ao contrário que os TJ pensam, não são 3 deuses, são pessoas distintas, porém um único Deus.

A Paz Seja com Todos!

Sobre mim

Minha foto
Renata
Rio das Ostras, RJ, Brazil
Sou uma mulher casada, Levita e Serva de Deus, e tudo que sou hoje devo à ELE, que me ensina a cada dia mais e mais. Criei este blog para compartilhar um pouco das minhas crenças antigas, que estavam totalmente distorcidas, e testemunhar o que Deus fez na minha vida, onde através do meu esposo, na época ainda meu namorado, eu pude conhecer a verdadeira Palavra de Deus e viver em novidade de vida. E hoje vivo para servir ao Senhor, e viver os milagres Dele na minha vida que antes nunca tinha visto. O Senhor tem muito mais! Glória a Deus!
Visualizar meu perfil completo

Contato através do e-mail:

diariodeumalevita@outlook.com

Pode conferir com sua Bíblia

Pode conferir com sua Bíblia

Não esqueça de deixar o seu recadinho!

Pode crer!

Pode crer!

O nome RENATA significa:

O nome RENATA significa:

Agradeço à Patrícia por nos premiar com esse lindo troféu!

Agradeço à Patrícia por nos premiar com esse lindo troféu!